07/08/2015

Resenha do livro: Ponte para Terabítia

Oii gente, tudo bem com vocês? Na postagem de hoje eu finalmente vim trazer mais uma resenha, dessa vez escrita (como já faz um tempo que não trago, risos). Esse foi um dos livros que eu li na mini maratona de férias que eu fiz  - o vídeo onde eu explico qual foi a minha proposta está na sidebar, ou nesse link aqui - e devo admitir que foi meio difícil fazer a resenha dele, principalmente por eu não saber bem o que estava sentindo por ele (mas nada mais difícil do que fazer a resenha do livro Extraordinário, que meu Deus do céu!!). Mas enfim, eu só consegui agora escrevê-la, e espero que gostem! Aah, e caso queiram me adicionar no Skoob, meu perfil é esse aqui.

Sinopse: Jess Aarons, um garoto de 10 anos, passou o verão treinando para ser o campeão de corrida da escola. Na volta às aulas, é ultrapassado por uma aluna nova. Os dois tornam-se grandes amigos, e criam um reino imaginário chamado Terabítia, onde governam soberanos protegidos das ameaças e zombarias da vida cotidiana. Até que um dia, uma fatalidade os separa, e Jess precisa ser forte para enfrentar essa triste realidade.

Autora: Katherine Paterson | Editora: Salamandra | Páginas: 144 | Lançamento: 1977

   Eu tenho que admitir que eu estava meio receosa em ler esse livro, mas como ele havia sido emprestado por uma amiga eu resolvi dar uma chance para ele (demorei um pouco, mas resolvi finalmente encaixei ele na maratona). E gente, eu só sei que no momento em que comecei a ler ele eu já dei a minha primeira risada. Não que o livro ele seja engraçado, mas sim pois a primeira coisa que chamou a minha atenção ao lê-lo foi a própria escrita, mais especificamente a introdução de algumas onomatopeias, que deram um ar mais descontraído à leitura. 

"Vrrum, vrrun, vrrun... Tuque-tuque-tuque..."

  O livro é narrado em terceira pessoa, mas focando no Jess. E já no primeiro capítulo podemos notar que o personagem é um tanto solitário, já que, além de ele se sentir meio rejeitado em relação ao seu pai, é o único menino entre quatro irmãs. Portanto, já se dá para entender o anseio do personagem em se tornar o corredor mais rápido da sua escola. 
   
   E então em um dia, quando ele estava indo fazer mais um de seus treinos rotineiros - correr em um campo próximo a sua casa, almejando finalmente conseguir ser o campeão de corrida da escola - ele de repente se depara com uma garota. Uma garota diferente, que a primeira vista ele quase a confunde com um menino.

   De certa maneira, depois de alguns acontecimentos, e principalmente por ela ter se mudado justamente para a casa ao lado da dele, os dois acabam por se aproximar e tornarem-se, posteriormente, grandes amigos. Tão amigos que eles decidem criar um universo só deles, onde eles podem ser quem eles quiserem, inclusive reis e rainhas. Um universo totalmente mágico, onde eles podem refugiar-se dos problemas que vivem no mundo real. Terabítia.

   Esse livro me surpreendeu muito, principalmente por ter realmente tido momentos em que ele me fazia pensar. Aliás, o que achei também muito bacana, acrescentando a esse comentário, foi a maneira como a autora descrevia as inseguranças do personagem, que constantemente julgava a si mesmo por ser um tanto medroso, ao se comparar principalmente com a Leslie. Foram momentos em que eu consegui me colocar no lugar do protagonista, ou mesmo me identificar, e sentir toda aquela preocupação em querer satisfazer os outros com as suas conquistas. E mais ainda, satisfazer a si mesmo.

   Os personagens do livro são realmente tão cativantes, especialmente a Leslie, e a sua maneira tão diferente de pensar e agir. Toda a sua imaginação, toda a sua coragem, toda a sua determinação e a sua mente aberta. E além dela possuir uns diálogos tão marcantes, como esse na foto acima. Ainda devo acrescentar que fiquei apaixonada pela irmãzinha do Jess, a May Belle . Ela é adorável demais! Diferente das outras irmãs deles, que muitas vezes dava vontade de puxar pelos cabelos!

   A escrita desse livro é tão simples, além da constante presença de onomatopeias e o uso de termos e expressões um pouco mais formais, o que deixou a leitura mais leve e até mesmo um pouco engraçada. Os diálogos são breves, mas como eu já afirmei acima, muitas vezes eles podem querer dizer muito mais, pelo menos no meu ponto de vista.

   Esse livro realmente me surpreendeu, como a maioria que estou lendo ultimamente, risos. Afinal, ele tenta nos mostrar a sensação de poder usar a imaginação e fugir um pouco da realidade, porém sem nos esquecermos totalmente do mundo ao nosso redor. E como uma amizade pode surgir do nada, e se tornar tão intensa como a dos personagens principais desse livro.

   A única coisa que eu achei que me incomodou um pouco foi o ritmo um tanto acelerado do final da história, e eu até senti como se o livro pudesse ter tido algumas páginas a mais. Especialmente por causa de um acontecimento que ocorre quase no fim da história e a superação deste que foi rápido demais. Mas não que eu não tenha gostado do final, aliás, eu amei o final, e acho que toda essa história não poderia ter tido um desfecho mais emocionante!

Minha nota:

   Enfim, é isso! Espero que tenham gostado da resenha, e caso vocês já tenham o lido comentem aqui em baixo o que acharam dele! Aliás, eu ainda não assisti o filme, mas pretendo (principalmente por saber que ele é bem "de chorar mesmo", hahaha). 

   Por fim, eu aconselho demais esse livro, caso vocês ainda não o tenham lido (e acho que nem visto o filme... mas mesmo assim, acho que vale a pena dar uma chance para ele, por ser uma história tão leve e rápida de se ler). Eu ainda vou fazer a resenha em vídeo do livro Extraordinário, não sei se esse mês mas é o que pretendo, e talvez embutir nele um mini resumo de como foi a minha maratoninha literária (que já vou avisando que foi meio flop... meio tipo muito e.e). 

Até a próxima postagem!
Beijos e abraço, Mayara.

2 comentários:

  1. Gostei muito da resenha e confesso que rir com a onomatopeia "Vrrum, vrrun, vrrun... Tuque-tuque-tuque..." kkkkk'
    Acredita que eu quase comprei ele? Eu troquei ele por comida T^T (Se arrependimento matasse eu já esstaria morta)
    Já que você me indicou a um livro (não só para mim,mas... risos) vou te indicar a um também. Você já leu Starters? Esse livro é da autora Lissa Price e tipo NOOOOOOSSSSA, esse livro é Muiitooooo bom, e eu acho que você vai gostar.

    Beijos e quase me esqueci, te indiquei a uma tag e acho que você vai gostar ^.^

    http://temposdejuventude.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahah obrigada Hellen!! Fico feliz mesmo que tenha gostado da resenha!! Por comida? Hahahah pior que esse livro é carinho mesmo, peguei até emprestado e.e. Eu já ouvi falar muito bem sobre esse livro e com certeza eu quero ler ele!!! Obrigada pela indicação :D. Eu vi a tag, e irei fazer ela sim hahah, muito obrigada pela indicação <33.

      Excluir